Obesidade Infantil: Dra. Lorena Amato

Nos últimos anos a obesidade foi reconhecida como sendo uma doença, devido aos múltiplos problemas que pode acarretar à saúde das pessoas, além dos graves transtornos sociais e psicológicos que a acompanham. A obesidade possui múltiplas causas, e apesar de sabermos que apenas uma pequena proporção dos casos de obesidade é provocada por excesso ou deficiência de alguns hormônios. A dra. Lorena Amato (CRM 141594) fala sobre casos de doença em crianças e como isso afeta a qualidade de vida nessa faixa etária.

*transcricao

Eu sou a doutora Lorena, endocrinologista do Instituto Amato. E hoje eu falar sobre obesidade infantil, um problema com prevalência cada vez maior na população pediátrica, por isso a importância de conscientizar os pais dessa doença. Dentre as causas da obesidade infantil as principais são associação do estilo de vida inadequado, sedentarismo com hábitos alimentares inadequados. Menos de 5% dos casos são devidas a disfunções endocrinológicas ao contrário do que pensa muitas vezes os pais. O sedentarismo ele deve ser abordado através do estimulo de atividade física em grupo preferencialmente, porque a criança obesa ela tem uma tendência natural ao isolamento e isso tem um prejuízo na formação do indivíduo. Em relação à abordagem nutricional ela deve ser preferencialmente implantada aos poucos, de forma prazerosa, o mais prazerosa possível para que se trate de uma reeducação alimentar e não somente de uma dieta, o objetivo é que a criança gosta, mude de fatos hábitos. É importante conscientizar que toda a família pais e irmãos, mesmo que não obesos devem participar da mudança de estilo de vida, para servir de estímulo, exemplo para criança e também para já implementar hábitos saudáveis em toda a família que tem essa predisposição genética a obesidade. O nosso objetivo com a criança não é que ela perca peso, mas que pelo menos ela não ganhe, porque com crescimento ela vai acabar deixando esse diagnóstico de obesidade. A criança obesa, se ela permanecer com esse diagnóstico, 40 por cento delas vão tornar-se adultos obesos e caso ela chegue na adolescência com quadro de obesidade até 70 por cento vão permanecer obeso. Por isso que é importante assim que os pais identificarem esse problema eles já procuraram o tratamento com endocrinologista. E para mais informações vocês podem obter nas nossas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *