Autoaplicação de Insulina: Dra. Lorena Amato

A Diabetes (tipo I) é aquele que aparece na idade jovem com sintomas de fome e sede excessivas, eliminação exagerada de urina, elevação do açúcar no sangue e, frequentemente, perda de peso. Essa crianças ou adolescentes são totalmente dependentes de injeções de insulina diárias e de uma dieta rigorosa para manter os níveis normais de glicose no sangue. Diabetes da idade madura (tipo II) aparece na meia idade ou na velhice e usualmente pode ser controlada com dieta ou com medicação oral. A dra. Lorena Amato (CRM 141594) ensina como deve ser realizada corretamente a autoaplicação de insulina, para aqueles pacientes que necessitam realizar diariamente o procedimento. Assista!

**Transcrição:
Eu sou a doutora Lorena, endocrinologista do Instituto Amato. E hoje eu vou falar sobre diabetes devido à alta prevalência desse problema, e explicar sobre os métodos de aplicação de insulina, porque a aplicação adequada é essencial para que o tratamento seja eficaz. Inicialmente nós devemos saber sobre o método de conservação da insulina, que antes de ser aberta ela deve ser conservada em refrigeração em geladeira e após aberto ela pode ser conservada em ar ambiente entre 15 e 30º C, se você for ter um ambiente com temperatura mais elevada é adequado que deixa ela na geladeira e antes da aplicação deixa ela ficar em ar ambiente em torno de 15 minutos para que ela não fique gelada e isso minimiza a dor da aplicação. Em relação ao tamanho das agulhas nós temos disponíveis atualmente agulhas bem pequenas, que minimizam bastante o processo de dor durante aplicação a insulina, hoje temos agulhas de 4 milímetros que podem ser usadas em crianças sem fazer a prega cutânea, sem a necessidade de fazer a prega cutânea, pode ser utilizado em gestantes em pacientes muito magros e inclusive em pacientes obesos, porque o objetivo é que essa agulha atravesse a pele e chegue no subcutâneo. Agulhas até 6 milímetros em caso de aplicação em crianças e gestantes o ideal é que faça prega cutânea que eu vou demonstrar como é feita, para que não haja risco que as insulinas vão para o tecido muscular fique muito profunda e acabe atingindo o tecido muscular….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *