Tratamento de Inseminação Intrauterina: deposição de espermatozoides no interior da cavidade uterina

A inseminação intrauterina é um tratamento que tem como objetivo sincronizar e facilitar o encontro dos espermatozoides com os óvulos. Ele é indicado para casais jovens, casais com fator masculino leve ou alteração pequena no espermograma, pacientes mulheres que têm dificuldade em manter relação sexual, pessoas com alterações medulares (que não têm ejaculação), entre outros. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com a Dra. Juliana Amato (CRM 106072).

— transcricao—
Hoje nós vamos falar um pouquinho sobre o tratamento de inseminação intrauterina. O tratamento de inseminação intrauterina é um tratamento de baixa complexidade. A indicação do tratamento é para casais jovens, casais que tenham um fator masculino leve, ou que tenham uma alteração pequena no espermograma, pacientes mulheres que têm dificuldade em manter relação sexual, como vaginismo, pacientes que têm alterações medulares, pacientes que tenham uma certa paralisia, não tenha ejaculação também é realizado a inseminação intrauterina, casais que vão utilizar o banco de sêmen para fazer uma inseminação intrauterina, ou por alguma alteração masculina mesmo grave ou por uma produção independente e casais soro discordantes. Ou seja, quando a mulher é soropositiva e o homem não é soropositivo a gente faz a inseminação para que o homem não tenha contato durante o ato sexual e não tenha a probabilidade de ser infectado. No caso do homem positivo e a mulher negativa faz-se um processamento seminal com análise da carga viral daquele sêmen para poder ser feita essa inseminação. Como é feita a investigação para se ter certeza se o casal tem indicação dessa inseminação intrauterina? É feita uma dosagem hormonal, tanto masculina quanto feminina, para ver se essa paciente está ovulando, se esse homem tem uma produção adequada de espermatozoides, é feito um ultrassom transvaginal para avaliar a reserva ovariana dessa mulher, um espermograma para avaliar a qualidade seminal deste homem, e é realizado um ultrassom transvaginal para avaliar também essa reserva pela imagem dá para se ter uma ideia de quantos folículos ela tem nos ovários para predizer o quanto ela tem ainda de reserva ovariana. Como que é essa rotina de tratamento de inseminação intrauterina? Então, o início do tratamento é sempre feito no início da menstruação. Ou seja, a paciente menstrua e ela tem que vir ao médico para fazer uma avaliação ultrassonográfica, para ver se naquele ciclo ela tem cistos, pólipos que impeçam o tratamento neste mês. Estando com o ultrassom transvaginal sem nenhuma alteração, ela inicia, entra o terceiro e o sétimo dia da menstruação, uma medicação que vai estimular a sua ovulação. E associado com essa medicação do terceiro ao sétimo dia, do quinto até provavelmente o décimo segundo dia desse ciclo ela vai usar um hormônio injetável. Digo provavelmente porque isso depende muito da resposta que ela tenha a essa medicação, que vai ser avaliada por meio de ultrassom que ela vai fazer no consultório de seu médico entre dois e três dias. Quando o médico vê que no ultrassom essa paciente formou folículos e estes folículos já estão em um tamanho de dezoito milímetros, vai ser utilizado uma nova medicação que é um hormônio que vai fazer ela ovular de vinte e quatro a trinta e seis horas depois. E é nesse momento que o homem vai ao laboratório, colhe esse sêmen, é feito um processamento seminal, um preparado dos melhores espermatozoides, e trinta e seis horas depois coloca-se esses espermatozoides dentro do útero da mulher. Isso é feito através de um cateter, é um procedimento simples que é realizado em consultório. É como se fosse fazer um Papanicolau, onde coloca-se o espéculo, introduz na entradinha do colo do útero esse pequeno cateter que injeta o sêmen lá dentro. Nesse dia a gente pede que a paciente fique de repouso. Porém no dia seguinte ela já tem uma vida normal. Não tem contraindicação de atividade física, de trabalho, ela pode manter as atividades normais no seu cotidiano. Somente depois de doze dias feito esse procedimento é que a gente consegue saber se ele deu certo. Por que só depois de doze dias? Porque quando a gente injeta o sêmen dentro do útero da mulher, espera-se que ele encontre com o óvulo lá dentro e que ocorra a fertilização normalmente. Esse embrião formado, ele tem que se fixar no útero e começar a produzir hormônios. Então só depois desses doze dias é que a gente pode fazer um teste de Beta HCG e descobrir se realmente o tratamento deu certo. Após esse exame de Beta HCG indica-se que marque uma consulta com o seu médico, mesmo positivo ou negativo, ou para dar andamento ao pré-natal, ou para iniciar um outro ciclo de tratamento. Para mais informações acesse nossas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *