Reconstrução de Mama: cirurgia plástica

O Dr. Fernando Amato (CRM 133826) fala sobre reconstrução mamária. Além de ser um órgão de amamentação, a mama é um símbolo da sensualidade e desempenham um papel fundamental na estética do corpo feminino. O tratamento do câncer de mama pode ser mutilador além de causar deformidades na mama. Mais importante que isso é o impacto emocional. A reconstrução dependerá principalmente de como é essa mama, ou seja, qual o tamanho, qual volume, qual formato, e principalmente da proposta cirúrgica realizada pelo mastologista.

***transcrição***

Olá, eu sou o dr. Fernando Amato, cirurgião plástico e hoje falarei sobre reconstrução de mama.

As mamas representam muito mais que um órgão de amamentação. Elas são um símbolo da sensualidade e desempenham um papel fundamental na estética do corpo feminino. O tratamento do câncer de mama pode ser mutilador, além de deformidades na mama, causa um impacto emocional importante. No Brasil, é direito da mulher, tanto no SUS como nos convênios realizar reconstrução mamária durante ou após o tratamento do câncer.

O melhor momento da cirurgia é escolhido de acordo com cada paciente. Dependerá do desejo dela, assim como diversos fatores, inclusive das suas condições clínicas. A reconstrução dependerá principalmente de como é essa mama, ou seja, qual o tamanho, qual o volume, qual o formato e, principalmente, da proposta cirúrgica realizada pelo mastologista.

O que ele fará? A quadrantectomia, que é a retirada apenas de uma parte da mama, ou a mastectomia, que é a retirada inteira da mama. Com essas informações, por exemplo, a reconstrução pode ser feita apenas com o uso de tecidos que sobraram da mama, ou seja, com retalhos e dependendo da localização pode ter um resultado semelhante a uma redução mamária ou uma mastopexia. Pode ser feito o uso de prótese de silicone ou expansores mamários.

O que é o expansor? O expansor é uma bexiguinha que, depois de ser colocada, no ambulatório é infiltrado o soro e vai crescendo, ganhando pele para no futuro trocar esse expansor por uma prótese de mama. E quando se retira muita pele para a retirada da mama, é preciso fazer um retalho e o retalho é a movimentação de tecidos de outros lugares. Um exemplo desse é o retalho do músculo grande dorsal, em que é retirada pele das costas com o músculo, e ele é rodado para a frente e esse retalho e essa pele cobrem uma prótese. Existe também outro retalho mais conhecido, que é o TRAM. Esse TRAM é um retalho do abdômen e que se retira a pele e, com a musculatura, é levado para a mama, para reconstruir a mama e o resultado final do abdômen pode ser semelhante a uma abdominoplastia. Além disso, existem outras técnicas mais refinadas de reconstrução de mama, com transplante de tecido do próprio paciente para a mama. Exemplo do glúteo e da perna.

Depois de ter feito a mama, é possível fazer a aréola e a papila e isso pode ser feito com retalhos e enxertos. Além disso, uma técnica menos invasiva é a micropigmentação. Vale lembrar que também é direito da paciente realizar a plástica na outra mama, para deixá-la mais parecida com a mama reconstruída.

Era isso o que eu tinha para falar sobre reconstrução de mama. Fiquem atentos para os próximos vídeos e nos sigam nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *