Pós operatório Lipedema

Como é o pós operatório da cirurgia de Lipedema? Dr Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato explica o essencial para quem sofre dessa doença.

— transcrição —

Olá, sou Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, e hoje eu vou falar sobre o pós operatório na cirurgia de lipedema que é a lipoaspiração das pernas e membros. E começando falando que a gente faz a cirurgia com as duas equipes: a equipe de cirurgia vascular junto com a equipe de cirurgia plástica. Nós entendemos que é um procedimento que quando feito pelas duas equipes visa tanto a proteção do sistema linfático quanto também a resolução do problema da doença da gordura. Sempre buscando também um resultado estético. A questão é que muitas vezes a cirurgia ao buscar a resolução dos sintomas inflamatórios pode não ter o resultado estético desejado. Não estou falando que vai ficar feio, não é isso. Estou falando que a busca por um resultado estético às vezes entra em conflito com a busca pelo resultado da melhora sintomática porque as áreas a serem tratadas são diferentes. Então existem várias estratégias para o tratamento do lipedema com relação às áreas escolhidas para serem tratadas. Isso deve ser feito seguindo os protocolos. Existem os protocolos de áreas a serem tratadas. Óbvio que não só com a anuência mas levando em consideração o que o paciente deseja, mas isso tem que ser bem conversado porque há áreas onde pode haver uma melhora estética pode não trazer nenhum benefício sintomático. Bom, feito a cirurgia. A cirurgia feita com anestesia local e sedação, não vai ficar internada. É um procedimento de hospital dia. Deve ser utilizado malha de compressão, meia elástica para manter essa compressão na superfície da pele e evitar a formação de seromas. Então essa meia elástica essa elastocompressão vai ter que ser usada nos dias subsequentes da cirurgia. Obviamente, a cada dia que passa essa necessidade diminui mas logo após a cirurgia, então a primeira semana é essencial. Na segunda semana já pode diminuir um pouquinho o tempo de uso e assim sequencialmente. Então uso da elastocompressão é extremamente importante. Ela deve ser escolhida e adquirida antes da cirurgia e a formação de hematomas em pacientes com lipedema pode ocorrer mesmo com o uso da elasto compressão. Quem tem lipedema já sabe que tem uma aumento da formação de roxos na perna, muito frequentemente. Essa elastocompressão ajuda a diminuir isso mas também não elimina por completo, de modo que pode ser necessário passar cremes para evitar a formação e/ou acelerar a absorção desses hematomas. Outra coisa, são as compressas mornas que podem ajudar bastante pra também diminuir o risco de formação de um trombo. É necessário ter deambulação precoce: então não é pra ficar deitada o tempo todo, deve se movimentar. Isso faz parte da recuperação da cirurgia. Se porventura for programado um segundo procedimento, esse segundo procedimento ele pode ser feito a partir de um mês do primeiro procedimento então é necessário que seja feito nesse momento? Não, pode ser feito depois. Mas diminui o tempo de recuperação se for fazer com esse prazo então faz a cirurgia a primeira cirurgia. Se porventura for fazer uma segunda sessão de lipoaspiração essa pode ser feita um mês após a primeira e assim se tiver outras também pode ser pensado dessa maneira. Com relação à cruroplastia, que é a redução da quantidade de pele. É um procedimento que não vai ser feito nunca no primeiro evento. Até pode ser feito juntamente com alguma outra sessão mas nunca com a primeira. E pode ser um procedimento realizado de forma separada. Isso tudo vai ser avaliado juntamente com o cirurgião plástico e discutir o melhor momento e a necessidade. A gente nunca sugere a realização de vários procedimentos junto, por exemplo, a história do “Já que”… Já que vamos fazer a lipoaspiração vamos fazer também mama, fazer também uma blefaro, a associação de procedimentos aumenta o risco. Então sempre que possível fazer um procedimento só. Isso diminui o risco aumenta a chance de sucesso. Com relação ao uso de medicação no pós operatório, vai se passado medicação anti-inflamatória, medicação analgésica, todos com o intuito de controlar uma possível e eventual dor. É necessário fazer o tratamento clínico para o lipedema que vai ser discutido em consulta, que além de diminuir a reação inflamatória ao tratamento cirúrgico também evita e ajuda a evitar a progressão da doença. Então tudo isso vai ser discutido em consulta com o seu médico. Se tiver alguma dúvida estamos aqui à disposição para responder. Você gostou do nosso vídeo? compartilhe! assine nosso canal! Clique aqui no sininho e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *