Hérnia inguinal: o tipo de hérnia abdominal mais comum

O Dr. Cássio Barros (CRM 89250), cirurgião geral, explica no vídeo como é formada a hérnia inguinal – causada por descuido da natureza na formação dessa parede, que tem de suportar pressões muito altas – e quais são as complicações que ela pode trazer para a saúde do paciente.

**transcrição**
Sou o Dr. Cássio Jerônimo Machado de Barros, sou médico cirurgião geral e cirurgião do aparelho digestivo, hoje, vou falar com vocês sobre hérnia inguinal. Hérnia inguinal é um abaulamento na região inguinal que é percebido pelo paciente na apalpação, às vezes durante o banho, acompanhado de desconforto ou mesmo dor e deve ser tratado pois pode ter algumas complicações como por exemplo: o estrangulamento de alças intestinais. Esse defeito é um defeito anatômico que surge com o tempo, pode ser também congênito como acontece nas crianças, mas não adulto geralmente é acompanhado de uma fragilidade da parede abdominal onde após esforços repetitivos nessa área de fragilidade o conteúdo abdominal, intra-abdominal, começa a se protuir fazendo com que essas estruturas comprimam estruturas da região da virilha causando desconforto. A gente pode usar anti-inflamatórios, mas estará tratando uma consequência que é o desconforto e a dor, mas o tratamento definitivo é o tratamento cirúrgico. Hoje após a implementação e das melhorias das próteses e das telas as maiorias das técnicas envolve a utilização dessas próteses, antes quando não se utilizava essas telas ou próteses o índice de recidiva, o que seria recidiva? Operar a hérnia e no futuro ter novamente a hérnia, ela retornar, retornar o problema, era em torno de 10%, hoje menos de 1% dessas cirurgias realizadas com a tela ocorre esse inconveniente que é a recidiva. Em relação às opções de tratamento cirúrgico a gente tem como opção a técnica aberta onde se realiza o corte, geralmente um corte pequeno na região inguinal da virilha. A outra opção seria a técnica laparoscópica, onde seria alguns furos, três furos, por onde introduz uma câmera e faz a abordagem por dentro da cavidade abdominal. A maioria das pessoas entende a abordagem laparoscópica como menos invasiva, mas nem sempre isso é verdadeiro, pois pela laparoscopia necessitamos de anestesia geral e necessitamos abordar por dentro da cavidade abdominal, enquanto na técnica aberta você não viola essa cavidade abdominal, você faz externamente essa abordagem. Quando encontramos hérnias bilaterais ou recidivados eventualmente a gente dá preferência para técnica laparoscópica, mas hérnias pequenas a gente opta por fazer a técnica aberta, pois na técnica aberta fazemos a cirurgia minimamente invasiva, onde fazemos pequenas incisões por onde podemos acessar o defeito herniário, fazer seu tratamento e introduzir a prótese ou tela para fazer a proteção daquele local de defeito anatômico. Ainda em relação ao tratamento da hérnia inguinal hoje temos a opção do regime hospitalar ou regime ambulatorial, no Instituto Amato nós fazemos o tratamento ambulatorial, onde o paciente se interna e no mesmo dia é realizado a cirurgia e após quatro horas em média, após o procedimento, o paciente retorna ao seu domicílio onde fará a recuperação em regime domiciliar. Em termos gerais, era isso que eu tinha para falar para vocês sobre hérnia, mas caso queiram mais informações sobre tratamento ambulatorial de hérnia inguinal em hospital dia entre em contato com Instituto Amato para maiores informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *