Colelitíase: presença de cálculos na vesícula biliar

O Dr. Cássio Barros (CRM 89250), cirurgião geral, explica no vídeo como é formada a colelitíase – termo médico que significa a presença de cálculos na vesícula biliar (as chamadas “pedras na vesícula”) – e quais são os fatores de risco dessa doença.

** transcricao**
Meu nome é Dr. Cássio Jerônimo Machado de Barros, sou médico cirurgião geral e cirurgião do aparelho digestivo responsável pela equipe de cirurgia do Instituto Amato. Vou falar com vocês hoje sobre um problema frequente que é a Colelitíase, conhecida popularmente como pedra na vesícula. Hoje temos uma incidência de 10% da população apresentando pedra na vesícula. Então, o que significa isso: de cada cem pessoas, dez pessoas têm pedra na vesícula. Algumas não apresentam sintomas relacionados a essas pedras na vesículas, outras apresentam desconforto, dor abdominal, cólicas que levam à necessidade de um tratamento cirúrgico. A cirurgia para tratamento da vesícula é realizado por padrão atualmente pela técnica laparoscópica, ou seja, através de furos, pequenos furos, é abordado a vesícula e retirada a vesícula juntamente com os cálculos. O tratamento quando sintomática deve ser cirúrgico. Por padrão desde o passado se fazia cirurgias onde utilizava-se o corte, com o desenvolvimento da técnica laparoscópica a cirurgia se tornou mais segura. No Instituto Amato temos equipe especializada e treinada para tratamento da colelitíase onde toda a equipe se desloca para vários hospitais onde fazemos o acompanhamento e damos a atenção necessária aos pacientes. Caso queiram mais informações sobre esse problema acesse o site do Instituto Amato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *